Pesquisar este blog

domingo, 25 de julho de 2010

MENSAGEM AOS PAIS


Crescer

Nas anotações do Novo Testamento, o Evangelista Lucas registrou que, após o episódio em Jerusalém em que Jesus extasiara aos doutores da lei com Sua sabedoria, Ele Se retirou para Nazaré com Seus pais, Maria e José.
Em seguida ele escreve: ...e Jesus crescia em sabedoria, idade e graça, diante de Deus e dos homens.
Crescer é uma preocupação humana. Quando uma criança nasce, logo os pais passam a se preocupar com seu saudável desenvolvimento.
Esmeram-se em dietas alimentares, procurando balancear proteínas, vitaminas e sais minerais, de forma que nada falte ao pimpolho.
Produtos sem agrotóxicos, sem conservantes. Consultam especialistas para ver se tudo está em ordem. Se ele cresce de forma regular, se o peso está correto.
E tão logo possam, o colocam na escola para que se instrua e aprenda muitas coisas.
Quando casais jovens se encontram, não é raro se observar um quase duelo em que cada qual procura mostrar como o seu filho é mais inteligente do que o filho do outro.
Se o filho se interessa por esportes ou se destaca nas artes, para logo investem os pais tudo o que podem, sem medir esforços, por vezes esquecendo até que estão tratando com uma criança.
O conceito é de genialidade, de insuperável, de melhor.
Crescer é, enfim, o objetivo do ser humano. Crescer fisicamente, crescer no intelecto, amadurecer.
Um detalhe, neste contexto, não deve ser esquecido: o de que o filho é um Espírito reencarnado.
E, como Espírito, necessita também, e muito, das coisas espirituais.
Desde cedo, ensinemos aos nossos filhos sobre a existência de Deus, de Jesus, dos objetivos da vida.
Trabalhemos os valores morais, aprimorando-lhes o caráter. Ensinemo-lhes a serem verdadeiros, honestos, corajosos. A utilizarem da bondade para com os menos favorecidos da sociedade, a perdoarem, a compreenderem.
Muito mais do que homens intelectuais, o mundo necessita de homens sábios, o que equivale a dizer, criaturas que utilizem os seus conhecimentos para o bem da comunidade.
Homens que vejam nos outros homens seus irmãos e assim os tratem.
Homens que saibam que estão passando pela Terra, numa rápida viagem de aprendizado.
Que logo mais retornarão à pátria verdadeira, ao mundo invisível e deverão aprontar sua bagagem que se deve constituir de algo mais além de medalhas conquistadas no esporte, aplausos conseguidos na sociedade, troféus angariados por seus esforços.
Devem levar dentro d'alma brilhando, como pérolas preciosas, as boas ações que realizaram, as virtudes que adquiriram e o amor que exercitaram.
* * *
A alma humana pode ser comparada a um solo a ser cultivado. Como agricultores atenciosos, cabe-nos zelar pela produtividade do jardim e do pomar das almas dos nossos filhos.
Preparar a terra do coração, revolver os canteiros da mente, semear as boas sementes é nosso dever.
Florescer, perfumar e frutificar é a parte que compete aos Espíritos que nos são confiados, como filhos.
Redação do Momento Espírita.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Para Aquecer o Inverno


Caldinho de feijão preto - Receita do bar Filial
Ingredientes:1/2 kg de feijão preto150 gramas de linguiça paio cortada em rodelas2 dentes de alho picados2 colheres (sopa) de azeite1/2 kg de costelinhas de porco2 colheres (sopa) de cebola picadinha1/2 xícara de óleoSal e pimenta4 xícaras de torresmos4 pãezinhos cortados em fatias
Modo de preparar:Cozinhe o feijão com o paio e o alho já dourado no azeite. Depois de cozido, bata no liquidificador o feijão com o paio e a água do cozimento, verifique o sal e reserve.Tempere as costelinhas de porco com a cebola, pimenta e sal a gosto. Frite no óleo bem quente até ficarem tostadas.Sirva o caldinho bem quente em canecas, acrescentando para cada porção uma costelinha. Acompanhe com torresmos e fatias de pão francês.Rendimento: 8 porções
Caldo de feijão - Receita do bar Pirajá
Ingredientes250g de feijão preto cozido50 ml de óleo1/2 maço de cebolinha verde1/2 maço de salsa10g de alho picado1 pitada de coentro50g cebola picada (1/2 unidade)50g de bacon picado em cubos50g de pimentão vermelho picado
Refogar o bacon, a cebola e o pimentão junto com o alho no óleo até dourar, juntar todos os ingredientes na panela e mexer bem. Após esfriar um pouco, bater tudo no liquidificador.
Rende 1 litro ou 5 porções. Servir com torresmo.

domingo, 11 de julho de 2010

Advogada, irmã de Luciano Zsafir, escreve livro com o nariz


Alexandra Lebelson Szafir, 42 de idade, sempre foi uma mulher inquieta. Nem mesmo a esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença degenerativa que a impede de falar e movimentar qualquer parte de seu corpo (a não ser os olhos e o nariz) fez a advogada criminalista desistir de trabalhar. Há poucas semanas, ela lançou “DeScasos: uma advogada às voltas com o direito dos excluídos” (Editora Saraiva, 82 páginas, R$ 19,90), seu primeiro livro. Ele foi escrito com uma ajuda especial: um software que dá ao nariz de Alexandra a possibilidade de mover o mouse e teclar. Durante a preparação do livro, ela nunca parou de trabalhar. Ela é sócia do escritório de Advocacia Toron, Torihara e Szafir (São Paulo, capital).O atendimento gratuito a pessoas que jamais poderiam pagar por um advogado também nunca parou. E foi nesse universo de renegados que Alexandra - irmã do ator Luciano Szafir - foi buscar as histórias do livro. Em 21 capítulos, ela narra de forma simples o descaso com que o Estado eventualmente trata aqueles pelos quais deveria zelar. Entre as narrativas, o caso de um jovem paraplégico – que após ser baleado pela polícia necessitava de cuidados médicos constantes – e que a promotoria insistia em colocar atrás das grades mesmo sem poder garantir sua integridade. Depois, as idas e vindas da cadeia de “Lady Laura”, uma senhora de 75 anos com claros problemas mentais. E ainda a prisão de um acusado que morava na favela e não teve seu endereço encontrado por uma omissa oficial de justiça, o que o levou à prisão. A narrativa de Alexandra revela histórias chocantes de pessoas tratadas como não humanos. E chega a situações hilárias, como a narrada no Romance Forense, nesta mesma edição do Espaço Vital, quando - durante um julgamento - um juiz acordou de um cochilo e falou o que não deveria ter dito.A advogada não se rende a generalizações; prefere buscar saídas para o labirinto em que a Justiça parece se perder. “Não diria que o Judiciário é desigual; as pessoas têm essa impressão porque geralmente só os casos de pessoas de classe social mais alta são noticiados pela imprensa. Mas quando esses casos são confrontados com o de uma pessoa pobre na mesma situação jurídica de um rico, os tribunais o tratarão da mesma forma. Basta lembrar que o STF limitou o uso de algemas, em um caso em que se tratava de um humilde pedreiro”, afirma.A renda do livro de Alexandra será revertida para a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica. Advogada desde 1994, ela é formada pela Faculdade de Direito da USP. Recentemente, recebeu o Prêmio Advocacia Solidária, oferecido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, Instituto de Defesa do Direito de Defesa e Instituto Pro Bono para homenagear advogados que trabalham gratuitamente em causas sociais.

espaçovital.com.br

terça-feira, 6 de julho de 2010

SABERES DIFERENTES


Narra-se que, num largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para outro.
Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora.
Como quem gosta de falar muito e com ar altivo, o advogado pergunta ao barqueiro:
Companheiro, você entende de leis?
Não. Responde o barqueiro.
E o advogado compadecido acrescenta:
É pena... Você perdeu metade de sua vida!
A professora, então, muito social, adentra na conversa:
Seu barqueiro, você sabe ler e escrever?
Também não. Responde o remador.
Que pena! – condói-se a mestra. Você perdeu metade de sua vida!
Nisso, uma onda muito forte vira o barco
O canoeiro, preocupado, pergunta:
Vocês dois sabem nadar?
Não! Responderam eles rapidamente, em conjunto.
Então é pena! – conclui o barqueiro – vocês perderam toda sua vida!
* * *
O texto do educador Paulo Freire mostra, com bom humor e profundidade, que não há saber maior ou saber menor, apenas saberes diferentes.
Todos somos importantes e sempre temos algo a contribuir para com a sociedade.
Cada um com suas habilidades, na sua área de conhecimento específico, fazemos parte de uma grande engrenagem, tanto na Terra, como no Cosmos.
Para que essa engrenagem funcione bem, os dentes precisam estar bem encaixados, uns oferecendo, outros recebendo e vice-versa.
Juntos formamos um organismo completo, onde as pequenas e importantes peças, sempre solidárias entre si, complementam-se, preenchendo as deficiências umas das outras.
A Lei maior do progresso dita que todos, um dia, saberemos tudo sobre tudo. Porém, neste longo caminho a ser trilhado, vamos adquirindo tais conhecimentos gradualmente.
A Sabedoria Divina, sempre fabulosa, faz com que tenhamos uma interdependência entre nós, para que nos ajudemos mutuamente e não nos isolemos.
Desta forma as sociedades precisam dos advogados, das professoras, dos médicos. Mas também carecem dos barqueiros, dos garis, dos músicos, etc.
É nisto que está a beleza da vida, das habilidades que se complementam e se auxiliam para que todos possam não só viver, mas bem viver.
* * *
Nunca desmereça os serviços aparentemente simples e maquinais.
Os trabalhos manuais enriquecem a alma, da mesma forma que aqueles que exigem muitos conhecimentos.
Cada um deve servir com suas forças, com aquilo que tem de melhor. Nossas diferenças nos enriquecem, nos fazem aprender uns com os outros em toda ocasião.
Aproveitemos as oportunidades de aprender com o diferente, construindo no íntimo as virtudes da humildade e do respeito.
Viva a diferença que pode conviver em harmonia!

Redação do Momento Espírita

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O PARANÁ CONTRA REQUIÃO


Com o entrevero ocorrido entre Requião e Rubens Bueno, me surgiu uma idéia, porque não criamos um jogo na internet, onde quem quisesse daria um soco na cara do Déspota ? O lha, que tem muita gente que iria gostar disso ! Os americanos, que são tão politicamente corretos, criaram um jogo com o fato da sapatada no Jeorge W Bush !

DEZ MULHERES SÃO ASSASSINADAS POR DIA NO BRASIL

Em dez anos, dez mulheres foram assassinadas por dia no Brasil. Entre 1997 e 2007, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio – índice de 4,2 assassinadas por 100 mil habitantes. Elas morrem em número e proporção bem mais baixos do que os homens (92% das vítimas), mas o nível de assassinato feminino no Brasil fica acima do padrão internacional. Os resultados são um apêndice, ainda inédito, do estudo Mapa da Violência no Brasil 2010, do Instituto Zangari, com base no banco de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus). Os números mostram que as taxas de assassinatos femininos no Brasil são mais altas do que as da maioria dos países europeus, cujos índices não ultrapassam 0,5 caso por 100 mil habitantes, mas ficam abaixo de nações que lideram a lista, como África do Sul (25 por 100 mil habitantes) e Colômbia (7,8 por 100 mil). As informações são do jornal O Estado de São Paulo. Fonte Hilário Gomes.

sábado, 3 de julho de 2010

A Paz no Mundo Virá dos Lares


A natureza respirava perfumes suaves, carreados nos braços dos ventos brandos.
Pairavam nas mentes e nos corações ansiedades feitas de alegrias e expectativas.
João, o discípulo amado, acercou-se de Jesus e, com serenidade, interrogou:
Quando dizemos que Deus é nosso Pai Amantíssimo, porque é o Criador de todas as coisas, devemos entender que todos somos irmãos, mesmo em relação àqueles que se afastam de nós e nos detestam?
Sem dúvida, João. – confirmou o Amigo – Os maus e indiferentes, os perversos e odiosos também são nossos irmãos, pois que, se fora ao contrário, concordaríamos que existiria outro Genitor Divino.
Pertencemos todos à família universal, ligados, uns aos outros, pela mesma energia que a tudo deu origem.
A fim de que o amor se estabeleça entre as criaturas de conduta e de sentimentos tão difíceis, o Excelso Pai fez o ser humano também co-criador.
Assim contribui com ele para o crescimento de cada um, através da união conjugal, da qual surge a família consanguínea, que é a precursora da universal.
Graças à união dos indivíduos pelo sangue, surgem as oportunidades da convivência saudável, mediante o exercício da tolerância e da fraternidade.
Tal exercício é treinamento para a compreensão dos comportamentos tão diversos que serão enfrentados nos relacionamentos fora do lar.
* * *
Jesus deixa muito clara a importância da instituição familiar no mundo.
Mostrando apenas uma de suas mil nuances abençoadas, o Mestre reforça a dedicação que devemos aplicar no lar.
Somos co-criadores e tal deferência nos deve fazer sentir honrados e felizes.
Não criamos almas, mas contribuímos para a criação dos novos corpos que recebem, diariamente, Espíritos que ainda precisam voltar à carne.
Assim, dos laços de sangue, pela íntima relação que proporcionam, nascem novos amores ou se fortalecem antigos.
Dos laços de sangue nasce a oportunidade do reajuste, do perdão, da aceitação.
Dos laços de sangue surge uma nova história, o renascer da água e do Espírito, a chance de refazer os caminhos.
Desta forma, precisamos estar atentos à família que nos abraça.
Estão ali, muito claros para nós, os maiores objetivos que nos trazem a mais uma encarnação na Terra.
Estão ali, nas diferenças e afinidades que nos unem, as provas benditas que nos farão melhores hoje do que fomos ontem.
Estão ali, no coração do pai, da mãe, dos irmãos e dos filhos, as sementes da nova era de paz que se estabelece gradualmente no globo terrestre.
A paz no mundo virá dos lares. A paz no mundo virá do amor dos pais aos filhos.
Virá da tolerância e do respeito dos filhos em relação a seus pais. Virá da amizade entre os irmãos.
A paz no mundo reinará quando houver amor completo nas famílias.

Redação do Momento Espírita

sexta-feira, 2 de julho de 2010

A LIBIDO FEMININA EM ALTA


A sexualidade feminina sempre foi um tabu. Até hoje muitas mulheres não se sentem à vontade quando o assunto é sexo e o próprio prazer. Essa realidade começou a mudar com a chegada de produtos capazes de estimular a libido da mulher com dificuldades em atingir o orgasmo durante a relação. Mas é preciso atenção, pois, como alertam os especialistas, os métodos podem mascarar a verdadeira causa do problema.
Gel estimulante
Uma das opções é o Viatop. O gel, que leva na composição arginina e mentol, deve ser passado de três a cinco minutos antes da relação e ajuda na vascularização e vasodilatação da região genital. Alguns especialistas se referem ao produto como o Viagra feminino, mas o chefe do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Quinta D'Or, Humberto Tindó, discorda desse rótulo. "Isso é um grande erro, pois o Viagra original não aumenta a libido e, sim, propicia a ereção e a sustenta por um tempo maior. Nos homens, isto melhora a autoestima e consequentemente interfere nos mecanismos psicológicos da libido e do desejo sexual propriamente dito", explica.Para o ginecologista Felipe Brandão, o Viatop funciona na verdade como um estimulante e não é garantia de que a relação será satisfatória. "O Viatop não garante um orgasmo. A relação envolve duas pessoas. Então, com o uso do produto, a mulher vai pensar, vai erotizar, vai imaginar, mas o desempenho da relação não depende só dela", observa. A vantagem do gel é o processo de conhecimento do próprio corpo. Ele estimula a retomada das preliminares que fazem grande diferença para as mulheres, mas que acabam deixadas de lado. "Na relação sexual normal muitas vezes a mulher não tem nem tempo de chegar a um nível de excitação. Para isso, ela pode fazer uso da pré-relação, das preliminares, que são os beijos, os toques etc. O Viatop entra exatamente nessa hora. Neste processo, a mulher acaba se conhecendo melhor, conhecendo o próprio corpo e os próprios desejos. Acho vantajoso nesse sentido", afirma Felipe Brandão.
Bolsademulher.com

quinta-feira, 1 de julho de 2010

MULHERES QUE FAZEM ABORTO SÃO DISCRIMINADAS PELO SUS

Como sempre costumo dizer por aqui, o aborto é legal e seguro no Brasil, mas apenas para quem tem dinheiro. Prova disso é a pesquisa divulgada hoje pela Organização não-governamental IPAS, segundo a qual a interrupção voluntária de gravidez realizada em condições precárias figura entre as principais causas de morte materna na Paraíba. Atendidas pelos SUS (Sistema Único de Saúde), aquelas que praticam aborto e têm algum tipo de seqüela mais grave sofrem discriminação e violência institucional nos hospitais públicos."Criminalizar o aborto não impede a sua prática. Muito pelo contrário, vulnerabiliza as mulheres mais pobre e dificulta o atendimento nos serviços de saúde. A Paraíba é o triste retrato do Nordeste em relação ao atendimento à mulher que realizou o aborto. Nenhum hospital pesquisado segue as normas do Ministério da Saúde para o atendimento à mulher. Pelo contrário, as pacientes sofrem discriminação e têm seus direitos violados", opina Paula Viana, coordenadora da Ong Grupo Curumim, que atua na região.A situação é mais grave ainda em Salvador (BA), onde o aborto inseguro é a primeira causa de morte materna.Ainda de acordo com a pesquisa da IPAS, na Paraíba, a intervenção mais utilizada para assistir mulheres que abortaram é a curetagem, procedimento caro e que oferece mais riscos de infecção para as mulheres do que o recomendado pelo Ministério da Saúde, a Aspiração Manual Intra-uterina (AMIU). “Entre janeiro de 2008 e junho de 2009, foram realizadas em João Pessoa 2.803 curetagens, e em Campina Grande 2.319 curetagens. Os gastos públicos na capital com o procedimento foram de R$ 532.422,44 e em Campina Grande o custo foi de R$ 414.004,70. Ao mesmo tempo, foram gastos com AMIU apenas R$ 3.746,14, em João Pessoa, no mesmo período”, aponta o relatório.Isso significa que não só o aborto acontece cotidianamente no Brasil como também sua não legalização apenas prejudica as mulheres mais pobres, que além de terem que utilizar métodos precários ainda sofrem com preconceito e o mau atendimento no SUS.Somando-se aos dados recentemente divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), onde uma a cada sete brasileiras entre 18 e 39 anos já realizou uma interrupção voluntária de gravidez, fica evidente que o que falta ao país é deixar a hipocrisia de lado e se preocupar em preservar a saúde das mulheres. Taí mais um bom tema para debate em tempos de campanha eleitoral.